30 de abr de 2011

FALANDO NISSO

Está em Porto Velho o fotógrafo Michael Lewis, que em 2009 nos presenteou com uma exposição de fotos do que sobrou da Madeira-Mamoré, com muita propriedade.

DIA DO FERROVIÁRIO

Este 30 de abril se comemora o Dia do Ferroviário. Tenho uma afeição especial por esta categoria por ter minha vida ligada a ela. Mãe, pai, avô, tia, irmão, ex-cunhada e eu mesmo, fomos ferroviários. Meus pais trabalhavam na Estrada de Ferro Bahia e Minas, extinta pelo mesmo decreto que também acabou com a Estrada de Ferro Madeira-Mamoré. Fui ferroviário de março de 81 a janeiro de 83,  na Rede Ferroviária Federal, em BH, quando optei pelo jornalismo (fazia as duas coisas simultaneamente, de 8 às 18 e das 22 às 2 da matina).
Boas lembranças.

HEIN?

"Polícia Civil apreende arsenal de armas no Bairro Belavista". Já pensou se fosse um arsenal de peixes?

NO NINHO DAS BULBO

Na terça feira participei de visita à fábrica da Alston, na cidade paulista de Taubaté, onde são fabricadas as turbinas bulbo, usadas nasuzina do Madeira. Abaixo, as fotos. (Fotos JCarlos)

Não sei que peça é...

 Estator para a UHE Jirau
 Chuvinha de solda
 Terceiro maior pórtico do Brasil
Nesta peça são afixadas as pás da turbina. Santo Antônio tem turbinas com quatro e cinco pás.

NA "RÁDIA"

O locutor anuncia concurso para o dia das mães: "(...) faça sua frase, 'seje' criativo."
Dói no ouvido.

29 de abr de 2011

DIÁLOGOS INSÓLITOS

Na copa, indagorinha:
- O que é isso?
- Canjica doce.
- Eu chamo de munguzá... Canjica, para mim, é aquele amarelinho...
- O amarelinho eu chamo de curau. Munguzá é feito com arroz e é salgado
Não entendi nada.

'PRACAS'

Estreando como colaborador do blog o repórter fotográfico Maksuel Rocha, o Marks Rocha, da Agência Imagem News. Bem vindo ao Sanatório.
 (Foto Marks Rocha / Imagem News)
(Foto JCarlos)

MATEMÁTICA

Confira esta conta. Quem tá mais pirado, o aluno ou o professor? (Foto Cléris Muniz/Imagem News)

28 de abr de 2011

VIADUTOS DE PAPEL

Ad kalendas græcas. Para lá foram mandadas as posibilidades de termos os seis viadutos de Porto Velho prontos em breve. Nem para as Olimpíadas de 2012, nem para a Copa do Mundo de 2014 teremos o prazer de desviar dos congestionamentos dos trevo do Roque e das Campos Sales da vida.
A esperança é que pelo menos um dos viadutos esteja pronto no final de 2015, para que o povo de Porto Velho vá assistir a inauguração dasuzina de Santo Antônio passando por ele.
Mas duvido.
Já ia esquecendo, continuo querendo passar pela ponte sobre o rio Madeira antes de morrer... (Maquete do viaduto de papel/Gov SP)

SIM, MAS QUEM PAGA?

A Assembléia Legislativa de Rondônia está veiculando sua nova propaganda institucional. Nela é destacada a aprovação da Lei 2428/11 que determina às escolas públicas e privadas de Rondônia a emissão gratuita de carteiras de estudantes.
E agora, quem vai manter as entidades que comercializavam estas carteirinhas?
Outra pergunta: De onde virão os recursos para a confecção das carteiras da rede pública, já que o orçamento do Estado e dos municípios não previa a despesa?
Ai, ai...
 (Foto JCarlos)

BOLSA-VOTO

O jornalista Carlos Sperança, "O Bruxo", comenta uma possível prática de "captação ilícita de sufrágios". O assunto está por emergir:
"Será verdade? - Por falar em mazelas na Câmara de Vereadores, recebi queixas a respeito da conduta dos chamados “políticos de faculdades”. Nas campanhas mais recentes, ventilou-se que candidatos ligados a faculdades particulares da capital distribuíram bolsas de estudo em troca de votos. A coisa precisa ser mais bem investigada pela justiça, mesmo porque tem bolsista reclamando que foi ludibriado. Será verdade?"

DESCONTO? TEM DESCONTO NÃO!

Na manhã de terça-feira assistia no Bom Dia São Paulo a uma matéria sobre a venda da ponta de estoques de ovos de páscoa. Muita gente nos supermercados em busca de ofertas do tipo "Leve 2 e pague 1", "Descontos de 70%", etc.
A repórter busca, então, o dono de um supermercado da Zona Leste da cidade:
- O senhor está dando desconto de quanto para estes ovos de páscoa quebrados? E mostrou a embalagem sem forma de ovo.
- Desconto? Que desconto? Não tem desconto nenhum não. O preço é este mesmo. É pegar ou deixar aí, só tenho mais uma caixa para vender...
É. Dizer o quê?

ZÉ ALENCAR CHEGA AO CÉU


O Zé Alencar chegou ao céu e não tinha ninguém na portaria.
Ele ficou bravo e foi direto para a sala de Deus. Chegou lá e reclamou:
- Pô, Deus, não tem ninguém para me receber!!!
Paciente, Deus atendeu o Zé e depois orientou onde era o seu lugar.
Em seguida, muito bravo, Deus chamou São Pedro.
- São Pedro, vem para cá o vice presidente e um grande empresário e você não estava na portaria para recebê-lo!
São Pedro respondeu:
- Mas, Deus, nós marcamos dez vezes com ele e ele furou todas!
(Charge Novaes/rafapolicarpo.wordpress)

27 de abr de 2011

O CARA DA POLTRONA DE TRÁS

Quem viaja de avião já deve ter tido a triste experiência de ter um vizinho na poltrona de trás que bate o pé no encosto da sua cadeira ou, ao se levantar para ir ao banheiro, puxa o encosto para trás de solavanco, justamente na hora que você pegou no cochilo.
Na ida para São Paulo, no domingo, viajei próximo a quatro homens que se conheciam e não pararam de falar nos muitos quilômetros que separam Porto Velho de Brasília. O cara que se sentou atrás de mim, em particular, era o mais agitado, parecia que tinha dentro de si um "bicho-carpinteiro". Batia no encosto, batucava na mesinha de lanche, acendia e apagava a luz, fazia piada com a voz do piloto ("Esse cara nem precisa de microfone. O fidaégua fala alto prá *!")
Enquanto eu lia as revistas que levei para bordo, não me importei. Mas quando comecei a cochilar - o que raramente acontece quando viajo - e o cara deu um solavanco na poltrona, eu me levantei e o olhei com a mesma expressão que olho para o JP quando ele apronta.
Funcionou. Por vinte minutos o cara ficou quieto. Depois voltou a se mexer até o avião aterrissar.

26 de abr de 2011

PALHAÇADA

Temo, sinceramente, o papelão que o Brasil fará em 2014, na Copa do Mundo. Não estou falando de futebol, pois disso não entendo. Estou falando de infraestrutura de transportes. Aeroportos, portos e rodoviárias desaparelhados para receber a grande quantidade de pessoas que se espera vir para os jogos - os jornalistas chegam meses antes para mostrar os "furos" na organização.
Estou comentando isso para falar do péssimo serviço que nos foi oferecido pelo pessoal de terra da TAM, a última das grandes companhias aéreas brasileiras, nos voos 3800 (Congonhas - Cuiabá) e 3630 (Cuiabá - Porto Velho).
Em São Paulo, ao fazermos o check-in a funcionária não sabia a qual portão de embarque nos encaminhar. Sugeriu que aguardássemos perto do portão 3, mas ficássemos atentos aos avisos do alto-falante. Não deu outra, o local de embarque mudou duas vezes e, já com o avião em solo, mais uma vez. Descemos para o térreo, onde a organização das filas era feita de boca.
Os ônibus chegavam e a funcionária encarregada do despacho empurrava (sem força, mas empurrava) as pessoas para dentro do veículo para que coubesse o maior número de passageiros possível. Faltou dizer: "Um passinho a frente, por favor".
Em Cuiabá, o funcionário que fazia o receptivo, indicou a porta da sala de embarque. Fomos até lá e estava trancada. O funcionário da Infraero veio abrir e, por assovios, se comunicou com o cara da TAM, que ainda estava na pista. Este, ao invés de liberar a entrada, mandou  que esperássemos. Quando saiu a última passageira do avião ele assoviou para o cara da Infraero e fez um sinal 'cassólico' (positivo) para liberar a entrada.
Passei pelo funcionário da Infraero falando "palhaçada". Ele respondeu "Ele é assim mesmo".
É bom a TAM e a Infraero botarem as respectivas barbas de molho. A presidente Dilma vai abrir o mercado das empresas aéreas e privatizar a administração dos aeroportos. Para estes caras ainda haverá a alternativa de trabalhar em Belo Monte.

25 de abr de 2011

A CIÊNCIA IMITA A VIDA

Deu na Folha Com: "Cientista identifica ativo que torna larva de abelha em rainha". Não é mais ou menos o que aconteceu com a Kate Middleton, a noivinha do Mundo? (Ilustração rquadrinhos.blogspot.com)
P.S. Escrevi o texto acima e só depois resolvi procurar uma caricatura para ilustrá-lo. Não há. A moça está sendo poupada.

AVENTURANDO NO 3 CAPELAS - FINAL

Tirando minha implicância, o local é muito bonito, bem conservado, limpo e tranquilo. As pessoas que encontramos por estes dias eram agradáveis e - espanto - um baixo índice de consumo de bebidas alcóolicas. Algumas fotos:
Vista da piscina e lago (Foto JCarlos)
 Caiaque e Pedalinho (Fotos JCarlos)
"Ponto" para fazer ligação por celular. Diz-que. (Foto JCarlos)
Mirante (Foto JCarlos)
"Nosso" chalé Andorinha (Foto Mar)
Lago das tartarugas (Foto Mar)
Praça do Coreto (Foto Mar)
Alameda (Foto Mar)
Oncotô? (Foto Mar)
Escritório, loja de conveniências e restaurante (Foto JCarlos)

AVENTURANDO NO 3 CAPELAS - III

 Piscina tem lugar para grandes e pequenos (Foto JCarlos)
Garotinho usa toca de natação imitando tubarão. Roubou a cena. (Foto JCarlos)
A piscina do hotel-fazenda é deliciosa, água fria e corrente. Os muito pequenos, os pequenos e os grandes têm lugares próprios reservados, fazendo com que os pais se divirtam e não percam de vista os pimpolhos.
Porém, ai, porém. A trilha sonora é de lascar. Nos dias que ficamos lá parecia o programa "Top Ten" da Rádio Rondônia, as mesmas músicas, que só alteravam na ordem de serem executadas (pena que 'execução' aqui não seja no sentido castrista do termo): era pagode, pós-pagode, forró universitário (seja la o que for isso), Banda "Calýpisô", axé e Amado Batista (hour concour).
Chamei o garçom e disse baixinho:
- Se a gente pedir para abaixar o volume do som, alguém vai reclamar?
Ele me olhou espantado e, depois de alguns segundos disse "Não".
- Então, meu amigo, agradeço antecipadamente.
Mas alegria durou pouco. A tortura logo recomeçava.

AVENTURANDO NO 3 CAPELAS - II

Pergunta inconveniente:
- Este hotel deve ter mais de 10 anos, não? Perguntei ao garçom.
- Tem mais de dez anos, senhor.
- Então não é a primeira semana santa em que vocês recebem hóspedes. Como é que não se programaram? Tá faltando até coca-cola!
- Só trabalho aqui há uma semana, senhor.

AVENTURANDO NO 3 CAPELAS

Vou contar, em capítulos, como foi o nosso final de semana santa/histórica (Tiradentes, Paixão, Descoberta do Brasil, Páscoa) no Eco-Resort Três Capelas, que faz parte do "polo turístico" da progressiva e incompreendida cidade-satélite de Candeias do Jamary.
Para começar a reserva só pode ser feita no escritório, em Porto Velho, de segunda a sexta-feira em horário comercial. Ou seja, para pessoas iguais a mim, que trabalham neste mesmo regime, fica dificil.
Feita a reserva, pago o sinal, não perguntamos por parecer óbvio, mas não nos disseram que o hotel fazenda não recebe sinal de celular, não tem internet, nem aceita pagamento por cartão.
Explicação: "O Moreira [Mendes] gastou mais de 30 mil em equipamentos e tudo funcionava direitinho, aí a Vivo modificou a posição da torre, e ficamos sem comunicação..."
Explica, mas em parte.
Na sexta-feira, além das pessoas hospedadas nos chalés, foi muita gente passar o dia lá. A comida não foi suficiente, não havia mais pratos ou talheres e a coca-cola acabou antes das três da tarde. Isso mesmo, a coca-cola acabou. Mas a água de coco acabou mais cedo, às 11 da manhã. Sem explicação.

22 de abr de 2011

'NOVASUZINA'

O fim do mundo mudou-se da Amazônia para o Pantanal. TV Globo exibiu ontem uma extensa matéria do Tonico Ferreira mostrando "asusiza" dos rios do Pantanal em dois Mato Grosso. Agora são três fronts para os ambientalistas lutarem: Madeira, Xingu e Cuiabá.
Veja aqui.

BAGRES BABÕES

O assunto "peixes do Rio Madeira" está na ordem do dia nos veículos de comunicação caripuna e tupiniquim. Entre outros peixes, existe na calha do Madeira uma espécie de bagre chamada vulgarmente de "babão".
Se assessores de Imprensa fossem comparados à "ictiofauna" madeirística, "Babão" seria o nome de quem escreveu rilise começando assim: "Considerado um dos melhores membros da equipe do governador Confúcio Moura (PMDB), (...)" E por aí vai. (Ilustração Cabralnet)

QUE SUSTO!

Assistindo ao Jornal Hoje, desta quinta-feira, vi uma cerimônia realizada na cidade de mineira de Sabará, que representa a abertura e a guarda do sepulcro de Jesus Cristo. Fiz matérias, há anos, nas cidades históricas e não conhecia esta solenidade.
Mas estou contando isso porque lembrei de um fato que aconteceu comigo, quando era criaça pequena em Teófilo Otoni. Eu sempre acompanhava minhas avós (eram três irmãs) às missas de domingo e ficava curioso em ver a toalha que cobria o altar ir até o chão.
Numa manhã, voltando da aula - o Grupo Escolar era perto da Matriz -, um coleguinha e eu fomos explorar a Igreja, aproveitando que a zeladora não estava lá. Fomos direto ao altar e ao levantar o pano demos de cara com o "corpo de Jesus" todo machucado e sujo de sangue. Gritamos e corremos, sem olhar para trás. Cheguei em casa ofegante, mas não contei a ninguém sobre o fato. É a primeira vez...

21 de abr de 2011

AINDA É TEMPO DE LAMENTAR

Ao final do programa "Câmera 11" de hoje, Léo Ladeia lembrava que há 219 anos morria Tiradentes, por discordar dos impostos cobrados pela Coroa Portuguesa. Ao lado do Léo, Luana Najara baixou os olhos e fez uma cara triste.

ADVERTÊNCIA


Com um aviso desses, o ladrão passa longe... (Foto Cléris Muniz/Ag.Imagem News)

20 de abr de 2011

A CALHA DO ZÉ DE NANA

Calha internacional com jeitinho brasileño

Diálogo em non sense real:

-Boa tarde. Preciso de orçamento para calhas...

-(barulho...) Boas tardes o que é?

-Preciso de orçamento para calha...

-(barulho...) Que tipo de calha?

-Calha de metal.

-(barulho...) Mas de que tipo señor?

-Não sei... deve ser calha comum mesmo.

-(barulho... um tempo ... barulho...) Interna ou externa?

-Externa para aparar água. Desculpe mas não entendo de calhas...(já envergonhado com minha ignorância)

-É que existem vários tipos. É reta? Quadrada?

-Pode ser qualquer uma deessas que aparam água de chuva.

-(volta o barulho, um tempo...) Que tamanho? O senõr medio?

-Sim senhora (acertei a primeira!!!). São 8 metros e trinta.

-Não pode señor. Tem que ser 8,40. Vai ser preciso mais 10 cm. O señor medio de punto a punto?

-Sim senhora (já me sentindo idiota de novo). De punto a punto... Mas é melhor que venha uma pessoa para medir e orçar.

-(barulho...) Orçamento não dá señor... Só se for outra semana. Estamos com muita encomenda atrasada.

-Tá bem... Obrigado... (totalmente humilhado)

-Gracias señor. Dispoña siempre... (caraca!!! )

Parei para me recompor, ri de mim mesmo com tristeza, pensei no projeto Acreditar e (de novo envergonhado) liguei pro Zé Carlos de Sá pedindo ajuda. Quem trabalha nasuzina deve entender tudo de calha e de punto a punto.

Acho que isso aí é a tal da globalização. Atendimento boliviano, jeitinho brasileiro, preguiça baiana e solução lusitana. Sua satisfação garantida ou seu dinheiro de volta.

DIA DO ÍNDIO (EM TEMPO)

Ontem, 19, as tevês mostraram as comemorações do Dia do Índio em algumas tribos da Amazônia. Numa das matérias a repórter chamou a atenção para as atividades desenvolvidas na data, visando a preservação da "cultura indígena": torneio de futebol, cado de guerra, corrida e arcoe flexa. Os vencedores ganharam medalhas.
Em outra matéria, mostraram um índio fazendo pinturas nas crianças usando um cotonete Johnson...

CENAS DA CIDADE

 Tudo acaba em pizza
Diversidade comercial (Fotos Cléris Muniz)

HIPERGLICEMIA ANUNCIADA

Nesta pré-Páscoa, a empresa e colegas nos enchem de chocolates. Agradeci à Socorro, pois desde os 5 anos eu não ganhava uma "cenoura de Páscoa".

19 de abr de 2011

'PRACAS'

Nasuzina de Santo Antônio: "Não 'senti' Não é banco de praça." / "Eu sento, seu otário" (Foto JCarlos)

PIADA PRONTA

Em frente a um posto de auto atendimento do Banco do Brasil, explodido na madrugada de hoje, na rua Gonçalves Dias com Calama, bairro Olaria (Foto Cléris Muniz/Imagem News)

18 de abr de 2011

FRASE

"As pessoas têm medo da Malária, mas as doenças provocadas por parasitas matam muito mais". Marcos Vannier, pesquisador do Fiocruz-BA e CNPQ, que faz palestra logo mais à noite, no auditório da Faculdade São Lucas, no Projeto de Popularização de Ciências.

LÁ E CÁ

No jornal da Jovem Pan, Carlos Chagas comentou que já há ministros desesperados pela falta de nomeações para segundo e terceiro escalões. Apesar do descontentamento, ninguém reclama. Pior. Há ministros que nunca despacharam individualmente com a presidente Dilma nestes mais de 100 dias de governo.
Em Rondônia não chega a tanto, mas há ranger de dentes audíveis ao longe.

MANCHETES QUE GOSTARIA DE VER

Fugindo da mesmice dos dois ou três temas que todos os meios de comunicação exploram nesta época do ano ("Vai faltar peixe na Semana Santa"; "Peixes estão mais caros"; "Polícia Rodoviária Federal faz Operação Feriadão" e neste dia 21, em especial "Você sabe por que hoje é feriado?"), eu proponho: "Açougues perdem dinheiro na Semana Santa. Churrascarias às moscas".

17 de abr de 2011

SERÁ AGORA?

Empresa faz coquetel de lançamento do carnaval 'fora de ética' 2011. Será que desta vez eles pagam a merreca de R$ 1.500,00 à Mar? A dívida já fez aniversário e tem quatro dentinhos...

'PRACAS'

Foto enviada pelo correspondente do blog, Emerson Castro, direto da "Feira Hippie", em Belzonte.

CHEIA DO RIO MADEIRA

Por dever do ofício, vez enquanto cumprimos missões em que somos obrigados a descer ou subir o Rio Madeira. Nesta cheia, dá medo navegar pelo "Maderão, sem bêra".
"Boca" do igarapé Teotônio, na margem direita, abaixo da cachoeira
Igarapé Jatuarana, margem esquerda.
Na foz do rio Jamary, localidade de Sobral, margem direita (Fotos JCarlos)

Num furo do Igarapé Cuniã. (Foto JCarlos)
Eu, mais sério que porco *ijando (Foto JCarlos)

DICA DE RESTAURANTE

Em Porto Velho é arriscado você dar uma dica sobre restaurantes, principalmente. Acontece um dia você ser bem atendido, sugerir para amigos e quando eles chegam lá tudo mudou e você fica com cara de tacho.
Com essa ressalva, gostamos do restaurante "Estação Mineira", que fica na Rua Rafael Vaz e Silva, 1070 - Bairro N.S. das Graças, perto da Avenida Amazonas. Comida mineira gostosa, um cachacinha Seleta e o bom atendimento da garçonete e da gerente, que é gaúcha.

JORNALISTAS E O EGO INFLADO

Vendo um programa na NBR, em que Heródoto Barbeiro fala para estudantes sobre Jornalismo. Segundo ele, há alguns jornalistas, especialmente aqueles que trabalham em televisão, que perdem "o controle sobre o seu ego e não deixam o entrevistado falar".
Aqui em Rondônia, isso não acontece, não.

16 de abr de 2011

FAUNA VARIADA

Na visita que fiz ao Lago Cuniã há alguns dias, presenciei esta cena: no quintal de uma casa uma bicharada variada: Gatos, cachorro, galinhas, galo, patos e urubus...  (Foto JCarlos)

(IN)SEGURANÇA

Acompanhei um grupo de jornalistas do Sul (RS e PR)  em visita a Porto Velho. Eles levaram duas impressões mais fortes: o calor (não viram nada) e as casas com cercas elétricas.
Isso é porque não viram nossa casa, que além da cerca elétrica, temos alarme de aproximação e fechaduras de segurança. Um presídio domiciliar.

15 de abr de 2011

DESNECESSÁRIA

(Foto Eliênio Nascimento/DA)

NÓS APOIAMOS

VIADUTO INAUGURADO

A reportagem do Banzeiros, com o apoio do jornalista Maurício Vasconcelos, flagrou este ônibus furando o sinal existente na BR-364 com avenida Campos Sales, usando como atalho o esqueleto de um dos viadutos que estão "em construção" na capital de Rondônia. Há sinais de que muitos veículos fazem o mesmo. O prefeitão inaugurou e nem nos convidou... Magoei. (Foto Maurício Vasconcelos)

PEIXE-BOI FAKE

Fui hoje ao Laboratório de Ictiofauna do Departamento de Biologia da Unir. Logo na entrada do prédio vi esse negócio aí e pensei ser um peixe-boi. Ao chegar mais perto vi que era uma câmera de ar de pneu, cheia de arei, que serve de lastro para caminhonetes... Mas que parece, parece.

(Foto JCarlos)

14 de abr de 2011

BOBAGEM

Levantam uma polêmica porque um humorista chama o povo de Rondônia de feio; antes foi a apresentadora ter dito que Ariquemes é no fim do mundo a esquerda. Mas fazem piada com gaúcho de Pelotas, com a "caipirice" mineira e etc. Vão arrumar trouxa de roupa para lavar!
Tem coisa muito mais importante para a Imprensa cuidar. Cadê a conclusão de prédios públicos? Estão gastando uma fortuna em aluguéis. Cadê a conclusão do teatro? Cadê o funcionamento do Hospital Regional de Cacoal?
Ô raça!

13 de abr de 2011

CASTIGO

Quem quiser fumar, nesta empresa, tem que ser assim: ao sabor das intempéries.
Há alguns ano o não fumante era um excêntrico. Hoje o fumante é que é o esquisito. (Foto Cléris Muniz/Ag.Imagem News/Edição Eu)