30 de jun de 2013

NÃO ERAM INVISÍVEIS!

Eles estão em Rondônia há pelo menos 40 anos. Vieram de uma fazenda de cana no interior do Paraná, onde o pai era o gerente. Eram tempos difíceis, a mão de obra humana estava sendo substituída pela máquina - não só na cultura da cana, como em quase todas outras - e os problemas sociais cresciam nas cidades do Sudeste a cada dia.
A solução encontrada pelo governo federal foi mandar estes trabalhadores desempregados para a "Nova Fronteira Agrícola" sob o slogan nacionalista "Integrar para não entregar", cumprindo os mandamentos da teoria da conspiração (ainda em vigência) que a Amazônia é alvo da cobiça mundial.
Entre estas famílias, vieram os Donadon. Estavam entre os pioneiros que chegaram ao local onde se localiza o município de Colorado do Oeste, por volta de 1973. Não sei em que trabalharam. Em 1986, quando fui
àquela cidade pela primeira vez, conheci o seu Marcos Donadon, que era o prefeito. Os filhos que já tinham idade ocupavam secretarias municipais, "os outros meninos estão lá fora [do Estado] estudando", entre eles Raquel, que era bolsista do Governo de Rondônia.
Os Donadon
A partir da esquerda: Melki (foto Ariquemes190), Marco Antônio (ALE-RO) e Natan (Portal da Câmara)

Ousadia
Eu ia pouco a Colorado, numa delas me surpreendi com o Hotel Donadon, prédio novo, de três andares. "Pegaram dinheiro do Beron", disse-me alguém. Depois soube que o Beron pegou o hotel dos Donadon.
Três filhos seguiram a carreira política. Melkisedeck (Melki) e Míriam Donadon foram prefeitos de Colorado do Oeste. Marco Antônio Donadon é eleito sucessivamente deputado estadual desde 1995, tendo sido o deputado estadual mais votado em 2002 e presidente da ALE-RO de 1995 a 1999.
Natan Donadon, o "cão pirento" da vez, é deputado federal desde 2003 (renunciou e reassumiu). Volto a falar nele daqui a pouco.
Numa ousadia, desafiando as oligarquias locais, Melki Donadon mudou o endereço eleitoral para Vilhena, fez uma campanha cheia de denúncias, mas assumiu a prefeitura em 1997, saindo no ano seguinte. Sem a Lei da Ficha Limpa, candidatou-se e se elegeu entre 2001 e 2004. Impedido de ir à reeleição, lançou e elegeu o sobrinho, Marlon Donadon, poucos dias antes das eleições de 2004.

Presidindo sessão vazia
Voltando a Brasília. Fui testemunha das dezenas de vezes que o deputado Natan Donadon assumiu a presidência da Câmara dos Deputados em segundas-feiras e manhãs de terças-feiras mortas, mas com um ou outro deputado discursando para as câmaras da TV Câmara e para os "anais da Casa". Ele não era invisível, como afirmou o jornalista Josias de Souza. Talvez discreto, pois sabia que a qualquer momento a mão pesada da Lei cairia sobre o ombro dele. E foi o que aconteceu.
Fica a lição. Se a população vota dezenas de vezes em políticos com problemas com a Justiça cível, criminal ou eleitoral, alguma coisa está errada. E somos nós, eleitores, que estamos errados.

A LUA DE MEL MINGOU

Quem votou no prefeito Mauro Nazif deve estar decepcionado. A cidade que ele se propôs a ser o executivo não corresponde à Porto Velho real, quase centenária. Mas ninguém pode falar que foi enganado, pois, salvas algumas exceções, todos os eleitores do Dr. Mauro moram no município de Porto Velho real, usam transporte de má qualidade, atolam seus carros nas poças d'água formadas nos buracos das ruas, sabem a rotina imprevisível da coleta de lixo e a escuridão que faz recordar a Porto Velho de antigamente, quando a energia era desligada pontualmente meia noite. Naquele tempo era desligada. Hoje, não tem lâmpada nos postes, quando há postes.
A Porto Velho real continua aí, desafiadora. O ex-prefeito Chiquilito Erse dizia que um mandato era insuficiente para resolver os problemas da cidade. Deram a ele uma reeileção, infelizmente Chiquilito adoeceu e morreu. Ao sucessor, Carlinhos Camurça foi dada outra chance, nada. Depois veio Roberto Sobrinho. Avançou bastante, mas saiu em dívida com a população e com o partido dele (acho).
Agora, acreditaram na Porto Velho utópica vendida por Mauro Nazif e Lindomar Garçon. Ambos disputaram a candidatura a prefeito de outra cidade (Curitiba?). Mauro venceu a eleição de Porto Velho, capital da Utopia. A homônima, capital de Rondônia, continua esperando o seu administrador que vai tirá-la dos buracos, das valas de esgoto a céu aberto, vai iluminar suas ruas e sua população terá transporte coletivo de qualidade e não precisará se arriscar com os mototaxi-kamikases para chegar ao trabalho.
Moradores da Rua Neuzita Guedes, no bairro Tancredo Neves, interditaram a rua. Mas não precisava.
(Foto JCarlos/celular)

29 de jun de 2013

FRASE

"Ele está sendo preso não é por que matou alguém. É porque roubou!" Âncora Paulo Pontes, comentando  a prisão de deputado federal Natan Donadon (PMDB/RO), no Jornal da Manhã, da Jovem Pan, hoje pela manhã.

NOSSA 'ARENA'

Arena (Imagem puramente ilustrativa)
O conceito de "Arena" ficou famoso mundialmente nas grandes competições, onde os antigos estádios eram destinados somente à prática de futebol ou de esportes atléticos. Com a mercantilização dos esportes (no bom sentido, se tiver), tudo passou a ser um grande negócio. O exemplo mais acabado é a Fórmula 1. Tudo é comercializado. Na Copa das Confederações e Copa do Mundo, primeiro o patrocinador, depois o governo local e, se tiverem paciência, a população.
O Maracanã, por exemplo, ou "Arena Maracanã" foi licitado e concedido a um consórcio de empresas que vai gerenciá-lo, nas modernas normas de governança e, claro, lucro. "Empresário quer ganhar dinheiro", já me disse alguém. Nos outros 'ex'tádios que receberão a Copa de 2014, não será diferente. Tudo feito na planilha.
Mas o comentário mesmo, é sobre a reabertura provisória do Estádio "Aluízio Ferreira", o Aluizão", em Porto Velho. Interditado há um ano e três meses, e sem condições há muito mais tempo, o Corpo de Bombeiros resolveu suspender, parcialmente, a interdição, liberando o local para o jogo Genus x Nacional do Amazonas, no dia 7 de julho, próximo domingo, pela quarta divisão do Campeonato Brasileiro (série D). A restrição fica apenas para a quantidade de público que será permitida entrar no estádio, que são 700 torcedores. Vai sobrar espaço seguro.
Quem ganha um dedo quer a mão, o Genus já se movimenta novamente. Agora, quer a liberação da "arena" para jogos do Sub-20.
Sem maiores informações, pelo que sei, a única obra realizada ate o momento foi a demolição e reconstrução do muro da avenida Farquhar. Os outros problemas continuam lá, do mesmo jeitim que estavam antes. (Foto Loucurasdecarol.Blogsport)
Atualização: A grama está sendo aparada. Estava tão alta, que suspeitam da presença de uma cobra no local.

#VEMPRALADEIRA

Estou formando um grupo - aproveitando a onda das manifestações multifocos - para darmos uma abraço no prédio antigo da Câmara dos Vereadores de Porto Velho, que ainda está ali na "Ladeira Comendador Centeno" (final da rua Gonçalves Dias), no centro da cidade. No caminho, protestaremos contra os fiscais da Prefeitura, que de tempos em tempos dão carreiras nos trabalhadores informais que fazem a difusão da cultura áudio-visual na praça Jonathas Pedrosa.
Também faremos uma parada na rua Barão do Rio Banco, onde protestaremos contra as péssimas condições de trabalho e segurança, daqueles que disponibilizam, a preços populares, produtos importados de todo mundo, com o risco das próprias vidas e a total omissão das autoridades de segurança (incluindo os Bombeiros), da saúde e trabalhistas.
Na sequência, o ápice da manifestação: um abraço ao prédio antigo da Câmara e em cada um dos moradores do imóvel (por enquanto, pois o tombamento literal é iminente).
Então, está esperando convite impresso? "Vamos para a Ladeira!" (Foto JCarlos)

28 de jun de 2013

CENAS DA CIDADE

 Churrasquinho em domicílio
 "Seu" Sardinha passeia com E.P.I.

 Chuva surpresa na tarde de hoje
 A "pátria de chuteiras" voltar a assumir corações e mentes e camelôs (Fotos JCarlos)
A conexão com a natureza
(foto Cléris Muniz / Ag.Imagem News em Ariquemes-RO)

DAR PALPITE, COMO?

Esta semana termina com dois acontecimentos marcantes para o país. Não, não foi a classificação da
Seleção Brasileira para a final da Copa das Confederações. Também não foi a prisão dos irmãos Donadon.
Foram duas notícias muito exploradas e uma impede que a outra aconteça com eficácia.
A primeira: Pesquisa divulgada nesta semana demonstra que no Brasil, "mais da metade (55,4%) dos alunos do 3º ano do ensino fundamental no país não leem e não interpretam um texto de forma correta (...)".
A segunda: Pega de surpresa pelos movimentos de rua, a presidente Dilma propôs a realização de uma Constituinte para discutir a reforma política. Foi convencida de que aquilo não prosperaria. Ela fez uma cena e saiu do palco. Os políticos discutem se o melhor seria um plebiscito ou um referendo. Iriam consultar a população sobre assuntos como o sistema de votação - se proporcional ou distrital (com lista aberta ou fechada); financiamento de campanhas - se público, privado ou misto; e coligações partidárias, entre outras...
Pergunto: Como uma massa populacional, que não consegue entender o que está escrito em três linhas de texto (O IBGE, no Censo de 2010, revelou que um em cada cinco brasileiros é analfabeto funcional) vai decidir sobre assuntos que nem os especialistas conseguem explicar? É por isso que temos e continuaremos ter os políticos que fazem as leis que nos governam.
Votamos neles e depois vamos para a rua protestar contra a *erda que jogamos para cima!

CONSELHO PARA VELHICE PRECOCE

Comentando a entrevista do secretário de Segurança, Marcelo Bessa, sobre as cenas de vandalismo acontecidas no centro de Porto Velho na noite de quarta-feira, 26, Léo Ladeia colocou as coisas no lugar: "Essas boinas e essas bandeiras estão com cheiro de mofo, de naftalina. Esse discurso cheira coisa velha, cheira à naftalina, cheira a anacronismo. Não tem sentido."
Sem ideologismo próprio, jovens ainda vivem "El sueño de la Sierra Maestra". (Imagem Caprishop.com c/edição de #XnSketch @xnview)
Atualizando: O Imagem News divulgou esta entrevista agora a noite.

MUNIÇÃO NÃO LETAL (UMA PAUTA PEDINDO PARA SER FEITA)

Enquanto prosseguem as manifestações por múltiplos motivos em todo Brasil (e com brasileiros protestando
em outros países), tem gente ganhando dinheiro com isso. Li, esta semana, um artigo publicado no saite DefesaNet, com o sugestivo título "Protestos impulsionam indústria do gás lacrimogênio".
Na manhã de hoje, pelo Tuíter, fico sabendo que a Polícia Militar do Rio de Janeiro receberá reforços da Força Nacional de Segurança, blindados e "armamento não letal" para o final da Copa das Confederações.
Pensando nisso tudo, assistindo na tevê que as bombas de gás lacrimogênio, esprei de pimenta e balas de borracha são usadas sem parcimônia, pergunto: Como as polícias estaduais e guardas municipais, que sempre estão chorando por dispor de pouco orçamento, estão conseguindo repor o estoques destes produtos de "primeira necessidade"?
A propósito, uma das principais fornecedoras mundiais de armas anti-distúrbios é a brasileira Condor Non Letal Tecnologies. (Imagem Desciclopedia.Ws)

27 de jun de 2013

PERDIDO NA CAPITAL

Um cidadão candeiense (pelo menos a placa do carro era da progressista cidade Candeias do Jamari) se atrapalhou e tentou entrar na contramão na rua José do Patrocínio com Pedro II, no centro. Ao ver que estava indo no sentido errado, deu ré e virou a traseira do carro para o lado oposto, ficando, também, na contramão na rua Pedro II.
Enquanto alguns riam e outros buzinavam, o motorista "forasteiro" acertou o rumo do carro e foi em frente, mas tentou entrar, novamente, na contramão, na rua Gonçalves Dias, onde existe o semáforo. Na próxima rua ele conseguiu pegar o sentido certo.
Deve ter levado histórias para contar em casa.

FRASE

"Tô querendo um domingo na quinta-feira..." Marcela Ximenes. Não sei exatamente o que significa, mas deve ser coisa de preguicite.

DICA DE FEIRA

Produtos fresquinhos comercializados pelos produtores (Foto JCarlos / II Feira)
Nesta sexta-feira, 28, a chance de comprar frutas, hortaliças e verduras sem agrotóxicos, mais bolos de macaxeira e de milho, pamonhas, curau, farinha de mandioca, galinha caipira, artesanato (panos de prato, tapetes, biojóias). Tudo na III Feira "Sabor do Campo", que é promovida pelas associações de produtores dos reassentamentos, com apoio da Emater, Governo de Rondônia e Santo Antônio Energia.
A partir das 7hs30 no estacionamento do Palácio Rio Madeira, do lado da rua Pio XII (entre o CPA e o SESC Esplanada). Nas duas primeiras edições, os alimentos e produtos oferecidos acabaram em menos de uma hora. Vá cedo.

MÓ DE FALAR

Sempre comento com a minha assessora para assuntos de Filologia, a Mar, sobre os modos de falar em Porto Velho. Gosto de ouvir/ver aqueles reforços desnecessários, como Banco Beron, Banco Bradesco, peixe tambaqui, peixe pacu e a mais recente "carne alcatra"!

SEM "PEGAR AR"

Léo Ladeia comentava na noite de ontem, ao vivo, as depredações que aconteciam em Porto Velho e a interrupção do tráfego sobre a ponte de Ji-Paraná. A conclusão foi mais ou menos assim:
(Câmera 1) - "(...) Tem que ser garantido o direito de ir e vir. O meu direito termina onde começa o direito do outro! (Corta câmera 2) E nesta quinta-feira, ofertas exclusivas do supermercado Gonçalves: batata Monalisa, 2, 59 o quilo (...)"

MESMO REMÉDIO

Estou aguardando a reação dos representantes dos comerciantes que tiveram suas lojas saqueadas na noite de ontem por vândalos infiltrados na manifestação convocada pelo 'Dia do Basta'. Quando ainda existia Expovel, "cavalgadas" Carnaval Fora de Época e outras grandes manifestações populares, sempre aparecia alguém do Ministério Público para impor exigências que "garantiriam" a segurança dos participantes e que quase inviabilizavam os eventos.
Deveria ter sido feito a mesma coisa para as manifestações de rua. As lideranças dos movimentos ou aqueles que fazem a convocação através do Facebook, do Twitter ou de outra rede social, deveriam ter sido chamados e avisados que seriam responsabilizados por qualquer dano aos bens públicos ou  particulares que decorressem em razão das manifestações, mesmo que fossem provocadas por baderneiros infiltrados.
Quem vai pagar os prejuízos das lojas e das lixeiras quebradas nas vias públicas, além dos outros prejuízos do passado? (Foto Eliênio Nascimento / Ag. Imagem News)

26 de jun de 2013

LIMPANDO A BARRA

Depois de ficar enrolando por mais de uma década, a Câmara dos Deputados, através de seu presidente Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN) trata de cortar "na própria carne", como dizem por lá, determinando pressa no processo de cassação do deputado Natan Donadon (PMDB-RO).
A Folha de S. Paulo relaciona outros deputados que estão devendo à Justiça.

A DE HOJE

Ninguém, em Rondônia, pode dizer que tem uma vida monótona, especialmente os jornalistas. Ontem tivemos a operação "Hidra de Lerna", capturando a quadrilha que atuava no Detran; na madrugada de hoje, a prisão do deputado estadual Marco Antônio Donadon e, durante a manhã, a decisão do STF de mandar prender o outro irmão, deputado federal Natan Donadon. As condenações são pelo mesmo crime.
Vamos levantar mais o tapete.

EFEITO COLATERAL

A revolta das massas nas ruas provoca efeitos colaterais interessantes no poder. Já tivemos redução das tarifas do transporte público em dezenas de cidades; sugestão da presidente Dilma de convocação de uma Constituinte, que virou plebiscito e pode virar referendum; já tivemos a derrubada da PEC 37 e a votação da aplicações dos royalties do pré-sal. Pegos no contra-pé, autoridades tentam, não compreender, mas sair dessa encrenca.
Já houve manifestação contra teleférico na Rocinha; contra violência policial na favela da Maré; contra os gastos com as Copas; contra a ausência de investimentos na educação, saúde e transporte público; contra a ausência de acessibilidade; contra a corrupção e a impunidade; contra os partidos políticos e seus militantes; contra governadores e prefeitos; contra a demora na emancipação de novos municípios; contra todo o sistema e até contra o "Fuleco" (leia-se Coca-Cola). Outras virão, além da greve geral, convocada para o dia 1º de julho!
Todas as manifestações que vejo na tv, ouço, mentalmente, a trilha que não poderia  ser outra, senão Chico Buarque cantando "Pelas Tabelas".  (Foto do @dancoc, feita pela Marcela Ximenes 20/06/2013/Via Instagram)

FRASES

"Estou igual ao Brasil, acordei!" Meu colega Eduardo Chagas, em contexto que não posso contar.
"Ao invés de frear, buzina!" Taxista, ao desviar de uma moto que avançou a preferencial em alta velocidade, buzinando.

25 de jun de 2013

MATARAM A HIDRA? II

Ouvido, de passagem, na copa:
- Injustiça, a polícia ter prendido esse pessoal que atuava no Detran...
- Porque?
- Olha só: um dia o Detran não funcionava por que o sistema estava fora do ar, no outro dia, servidores em greve. Aí, nesse esquema paralelo não tinha interrupção da prestação dos "serviços"...
- É mesmo.

MATARAM A HIDRA?

Hércules matando a Hidra de Lerna (François-Joseph BosioLouvre)
A notícia do dia continua sendo a ação policial que desbaratou mais uma das quadrilhas que atuavam no Detran de Rondônia e de outros Estados. A escolha do nome da operação, Hidra de Lerna, foi apropriado, pois na antiguidade, contam as lendas, o bicho deu muito trabalho a quem passasse por perto do pântano em que habitava, até que Hércules a decapitasse e queimasse cada uma das sete ou nove cabeças.
Resta saber se ainda há alguma cabeça a ser decepada e cauterizada.

CENAS DA CIDADE

Alto caramanchão (Foto Marcela Ximenes)

 Asuzina vistas do Casarão
 Pipiras caem matando no cacho de bananas
 Uma "rave" na night de Porto Velho
 Os pombos, nossos vizinhos
Sentinelas (Fotos JCarlos)

PUXA - ENCOLHE

Foto de 2012, mas tanto faz... (Foto JCarlos)
A novela dos viadutos teve mais um capítulo apresentado hoje. Em entrevista ao vivo, desde o "viaduto da Jatuarana", o secretário de Planejamento do município, Jorge Elarrat anunciou que será a Prefeitura quem concluirá as seis obras inacabadas.
No dia de ontem circulou a notícia que seria o próprio DNIT quem se responsabilizaria pela conclusão e que uma reunião estaria agendada para esta terça-feira, 25, na sede do órgão, em Brasília.
Já na semana passada, quem faria os benditos viadutos era o Governo Estadual, por intermédio do DER.
É como dizem lá em Minas Gerais: "Cachorro que tem mais de um dono, passa fome!"
Abre parênteses: Em 2011 escrevi isso. Fecha parentêses

24 de jun de 2013

PARA EXPORTAÇÃO

As emissoras de rádio de Porto Velho estão divulgando anúncio do SINE estadual, onde são oferecidas vagas para trabalhar em Belo Monte. É mais um demonstração do acerto na implantação do Programa Acreditar, criado pela Odebrecht, para qualificar a mão de obra existente na região.

DO PASSADO

Quando eu era criança pequena lá em Belzonte, participava do Grupo de Escoteiros "Antônio Mourão Guimarães". Entre os colegas, "os gêmeos", como os chamavam, para facilitar, pois todo mundo confundia um com o outro.
Neste dia, o time dos escoteiros jogava contra o time de uma comunidade vizinha. Um dos gêmeos em campo e o outro na torcida, quando aquele que estava jogando bola preparou-se para tomar a bola do adversário, indo por  trás. Alguém da torcida gritou:
- Cuidado com o ladrão!
O irmão do "ofendido" partiu para cima do menino que gritou, já querendo brigar.
- Você dá as provas que meu irmão é ladrão? Você conhece nossa família?
A turma do "deixa disso" impediu que a briga acontecesse e alguém explicou que "ladrão" era uma gíria de futebol, significando o desarme do adversário ou interceptação de passe.
Não sei por que lembrei dessa história de 40 anos.

DECEPÇÃO

Eu acompanhava o repórter Chico Ornellas e o fotógrafo Ricardo Sagebin em visita à obras dasuzina de Santotóim, quando chegou perto de nós outro grupo de visitantes, que era guiado pelo Maurício Vasconcelos e Emanuel Jadir. Os universitários da Uniron pediram para que tirassem fotos conosco - Chico e eu concordamos. Após a  pose, uma das alunas nos perguntou:
- Vocês são engenheiros?
- Não, somos jornalistas...
- Ahhhh...
É que eu chamo de "sem prestígio".

SUPERLUA

marcelaximenesA lua apareceu. Está tão próxima que @josecarlossa a toca. #brasil #lua #moon #nofilter (Via Instagram)

DEU NA IMPRENSA

A respeitada revista "Almanaque Brasil", edição de junho, informa que: "O Brasil é o maior - Somos líderes mundiais em colocação de prótese nos glúteos. O desejo de recauchutar o bumbum levou 21 mil brasileiras às clínicas médicas em 2011. O país é ainda o segundo colocado em plásticas gerais, atrás apenas dos Estados Unidos".
Quem não tem grana para a cirurgia, apela para o "bundex".
(Anúncio Baratão Calcinha)

22 de jun de 2013

BEM ASSIM

Mar estava na cozinha, quando ouviu o barulho de um carro estacionando em frente a nossa casa. Era o carteiro. Imediatamente ela foi até o portão, antes que o entregador chamasse.
- Bom dia!
- É difícil acontecer isso...
- O quê?
- Virem atender rápido...
- ...
- Chego nas casas, chamo e a mulher vê de longe, a gente de uniforme e grita "Quem é?" É o Correio, senhora! "E o que que tu qué?".

FRASE

"(...) O brasileiro gosta de jogar um futebol, depois vem a copa [do mundo], aí já é carnaval ... e esquece tudo." Vidal Junior, apresentador do "Batidão Sertanejo", da rádio Parecis, comentando as manifestações que ocorriam quinta-feira pelo país.
A frase ficou na minha cabeça e ao ver esta foto publicada pela Agência Imagem News, resolvi resgatá-la.
 (Foto Imagem News)

21 de jun de 2013

CENAS DA CIDADE

 Banco reciclado
 Acessibilidade
 
Precisando de um anexo..
Gute-gute (Fotos JCarlos)

OPINIÃO

(Respondendo a quem me perguntou)
Já havia um clima de insatisfação latente no Brasil. Após o julgamento do Mensalão (que ainda não acabou) e entronização do ministro Joaquim Barbosa como herói, ficou faltando alguma coisa.
Todo mundo sabe que os 0,20 centavos foi só a mola mestra e com uma pequena ajuda da polícia e de algumas emissoras/jornais, o bolo fermentou.
Espero que esta insatisfação consiga chegar até outubro de 2014 e aqueles que se manifestaram voltem a fazê-lo, depurando o mundo político pelo voto.
Isso eu quero ver. (Foto Marcela Ximenes Editada com #XnSketch)

CLASSIFICADOS BANZEIROS

Em Vilhena - RO (via Aisla Carvalho/Instagram)

CONSTATAÇÃO

Eu, que sou da geração A. I. (Antes da Internet), fico observando a preocupação das pessoas em se fotografarem nos protestos e postarem no Facebook. É tipo um atestado de participação.
Já houve um tempo em que o "atestado" era um galo na cabeça ou a marca de uma cassetetada nas costas. Como diziam os antigos romanos: "Tempora mutantur et nos in illis". Nada contra, como disse, é só uma constatação.

ACORDA E PROTESTA PORTO VELHO!


Ciro Pinheiro, ontem no #Vemprarua (Foto Marcela Ximenes)
Avenida Calama, agora pela manhã, na esquina com rua Jamari (Foto JCarlos)
Marcela Ximenes no G1... Mas só na foto da Jennifer. 
Mais Gabriela Guatura, Wania Ressutti e Luiza Archanjo

20 de jun de 2013

DE DENTRO DA MANIFESTAÇÃO

A reportagem do Banzeiros está na manifestação #Vemprarua no centro de Porto Velho. Algumas fotos feitas com celular.
Catedral sitiada. Manifestante se encanta com o helicóptero da polícia
Banco do Brasil usou tapumes para evitar vandalismo

 Manifestação no Palácio
 
Contra a PEC 37
 
 Pessoas chegam ao palácio de todos lados
"Verás"

O Choque está a postos na Avenida Presidente Dutra
(Fotos Marcela Ximenes)

HEIN?

Parque Natural de Porto Velho, o "Parque Ecológico", terá grama sintética na entrada. Diz-que é mais resistente que a grama natural.
Não digo nada.

19 de jun de 2013

18 de jun de 2013

REPÓRTER ANÔNIMO

Só quem já foi repórter sabe o que é fazer a cobertura de um evento em que a empresa em que você trabalha é repudiada pelos manifestantes.
 
Minha irrestrita solidariedade aos repórteres de todas as empresas de comunicação que tiveram que esconder as canoplas (aquela coisinha que tem a logo da empresa nos microfones) para não apanhar nestas manifestações juninas. O profissional não é culpado pela linha editorial da emissora/jornal/site.
Em 1986 - antes de vir para Porto Velho - eu trabalhava na TV Alterosa de Belo Horizonte, que fazia um julgamento paralelo para as escolas de samba, igual ao "Estandarte de Ouro" do jornal "O Globo". A escola que ganhou naquele ano a promoção, perdeu feio no julgamento oficial. O bobo aqui estava, ao vivo, transmitindo a apuração dos votos no Clube dos Sargentos, com a tendência de vitória da escola de samba que não ganhou o troféu da Alterosa, a manifestação contra mim começara. "Fora Alterosa! Fora Alterosa". Fui salvo pela PM.
Se eu já não gostava de carnaval, tive mais um motivo para continuar detestando.  (Reprodução TV Globo)

CAOS NO TRÂNSITO

Uma carreta que tentava manobrar, fazendo a conversão na avenida Jorge Teixeira para entrar na rua Carlos Gomes, deve ter quebrado. Retiraram o cavalinho e deixaram a carroceria atravessada nas duas vias.
Não vimos sinalização, ou qualquer policial do trânsito ou da Polícia Rodoviária Federal. Os marronzinhos da Semtran, não contam, pois só sabem dar multas em quem estaciona no lado direito da avenida Calama.
Se este incidente tivesse ocorrido em um dia normal de expediente o caos seria maior. (Fotos Marcela Ximenes)