28 de jan de 2011

GAMBIARRA

(Foto Cléris Muniz/Ag. Imagem News)

DIÁLOGOS INSÓLITOS - 2

- Gostei muito da matéria, mas a foto... Não ficou boa.
- O Gilmar [de Jesus] é fotógrafo, ele ainda não faz milagres!

DIÁLOGOS INSÓLITOS

- Desculpe colega, você está limpando e a gente não pára de sujar...
- Não tem nada, seu Sá. Se vocês não sujarem, me mandam embora.

DÉJA VU

O consultor peruano Francisco Manuel Pantigoso, que também é professor da FGV, veio a Porto Velho anunciar a descoberta da pólvora no comércio internacional regional. Disse ele ao governador Confúcio Moura e em entrevista ao Diário da Amazônia que Rondônia pode exportar carne, soja e borracha para o Peru e importar legumes, mineração (calcário) e farinha de peixe, aproveitando a proximidade e as vantagens do mercado regional.
Eu ouço este assunto, colocado exatamente desta mesma maneira, desde 1993. O ex-deputado Miguel de Souza ficou rouco de tanto repetir isso. Agora talvez alguém ouça, já que santo de casa não "opera" milagre, como diz, também o Miguel.

RENOVANDO A ISCA

A realização de sessão extraordinária  na Assembleia Legislativa, por convocação do Executivo, será tentada novamente hoje. Ontem não deu quorum. Dos 24 deputados estaduais convocados, apesas sete compareceram.
A boataria que corre na cidade é que os deputados eleitores do deputado Valter Araújo, candidato à presidência da casa de leis, estariam confinados em uma paradisíaca fazenda no vale do Guaporé, às margens do Rio Mequéns, para não mudarem de posição e garantir a vitória "araújista".
Os jornais comparam esta situação a outras já vividas em Rondônia em tempos recentes. Mas a situação é tão esdrúxula que chega às raias do ridículo e lembra a época dos coronéis de barranco.

27 de jan de 2011

AO PÉ DA LETRA

Uma loja do Porto Velho Shopping confundiu a promoção "Super Saldo", que está acontecendo por lá com "queima total" ou "ponta de estoque" e colocou 'araras' com roupas penduradas do lado fora da loja, além de pares de sapatos no chão.
Comentário da Mar: "Tá ficando igual à [Avenida] Sete de Setembro...

TOMANDO PARTIDO

Numa atitude elogiável, os dois impressos diários de Porto Velho assumiram publicamente de que lado estão na torcida pelo novo presidente da mesa diretora da Assembléia Legislativa. O Estadão do Norte é "Araujista" e o Diário da AmazÔnia é "Jesualdista".
É melhor que o leitor saiba logo as opções editoriais, do que ser enganado com aquela velha estória de "jogar a pedra e esconder a mão".
Claro que haverá ônus e bônus, mas não há nada que o tempo não cure.

PEGANDO CARONA

O assunto "aposentadoria de ex-governadores" voltou ao noticiário nacional, como se novidade fosse. Este tema é recorrente quando falta assunto na editoria de política. Aí todo mundo fica indignado, nada é feito e logo é esquecido.
Lembro-me que no governo Bianco (1999/2003), um repórter perguntou se ele recusaria a aposentadoria após o mandato. A resposta foi negativa: "Não abro mão, pois é um direito que tenho. É o que deixarei para minhas filhas".

26 de jan de 2011

BALSA DOS DESESPERADOS?

Uma jangada com três tripulantes foi vista descendo o Rio Mequéns, em direção ao vale do Guaporé. Botes salva-vidas podem ter sido lançados para o resgate dos "naúfragos" ou fugitivos. Sabe-se lá.

PRESTAÇÃO DE CONTAS

Recebo e agradeço a prestação de contas do mandato da senador Fátima Cleide, que deixa o Senado Federal na próxima segunda feira. Entre as propostas de emendas constitucionais e outras atividades, destaque para a PEC da Transposição, apresentada lá em 2003. A senadora conseguiu a aprovação da Emenda Constitucional na câmara alta, depois...
Meus parabéns também à amiga Mara Paraguassu, que soube divulgar bem as ações realizadas nestes 8 anos de trabalho. Um abraço e boa sorte às duas.

MAS...

O que mais me impressiona neste período pré-eleitoral da mesa diretora da Assembléia Legislativa de Rondônia é a opinião dos comentarias políticos de "A a Z", como dizem os colunistas sociais. São unânimes em apontar o deputado Valter Araújo como futuro presidente da ALE e completam a frase com a conjunção adversativa "mas...".
Tudo é possível nas terras de Rondon.

O QUE FAZER COM ELE?

O Hospital Regional de Cacoal (Paquiderme* Albino Cacoalense) continua a desafiar as autoridades de bom senso. O que fazer com aquilo? Foi esperto quem prometeu ao povo da região que o hospital ia ser a solução para a saúde da população de Rondônia. Os R$ 30 milhões prometidos pelo ministro José Temporão, anunciados sob aplausos e foguetes na inauguração em 30 de maio de 2010, serviriam para equipar o gigantesco hospital. Os 30 milhões minguaram para 12, e não sei, afinal de contas de subtrair, quanto veio.
Será que a TV Globo pode enviar novamente o "JN no Ar",  agora para Cacoal e resolver o problema, como fizeram no Pronto-Socorro João Paulo II?

* Os paquidermes (Pachydermata) constituem uma ordem, atualmente obsoleta, de mamíferos.

25 de jan de 2011

ANOTEM ISSO

A renovação da mesa diretora da Assembléia Legislativa de Rondônia, que deve acontecer após a posse dos deputados estaduais na próxima terça-feira, dia 1º fevereiro, anda mexendo com a imaginação dos colunistas políticos da Imprensa caripuna. Cada um deles tem seus informantes e confiando nestes é que foram soltados vários balões de ensaio. Como linhas de papagaio, o negócio embolou e ninguém sabe mais de nada.
Enquanto o quadro não clareia, especula-se.

COMIDAS TÍPICAS

O Twitter do jornal Estado S Paulo (@estadao) encerrou uma promoção em que a pergunta era: "Você sabe que está em Sampa quando..." Entre as respostas, gostei mais desta: "...entra na padoca, pede canoa na chapa e uma média e recebo pão francês sem miolo, quente, com manteiga e café com leite."
Lembrei-me de um "sanduiche" popular em Belo Horizonte: Pão francês com carne moída ao molho. Esta, às vezes, era a única refeição do dia de muita gente.
Para quem tinha menos dinheiro, havia uma alternativa: o pão molhado. Era o pão francês umidecido no molho, sem a carne. Para pedir esta opção, o cidadão chegava no balcão e pedia: "Me dá um pão moiado" e a balconista gritava para o cozinheiro: "Racha e bréia!".

23 de jan de 2011

PAPAGAIOS, TÔ FORA

A Mar insistiu que eu a acompanhasse no evento promovido pelo Diário da Amazônia e parceiros, a "3ª Revoada de Pipas", realizada desde a manhã deste domingo. Mas não aceitei ir. Nas poucas tentativas de empinar papagaios não me dei bem. Nossos pais não gostavam que bricássemos na rua e depois fui trabalhar e passei a fase.
Para não dizer que não soltei papagaios, fiz uma tentativa de boa ação: desamarrei o pé do "louro" que ficava fazendo barulho na varanda. Além de eu apanhar, a burra da ave não foi embora e foi recapturado.
Hoje fico xingando baixinho o 'bandioleso' que corre de costas pelas ruas para pegar pipas...

SE NÃO TIVESSE AMIGOS...

O que deixei de me alimentar durante a semana, por causa de infecçãozinha básica, fez com que a fome que sinto hoje seja canina.
Para me recuperar totalmente da debilitação, vou contar com um receita - diz-que eles, infavível - enviada pelos amigos Hokney França e Samuel Castiel. Não sei está na ordem certa, mas os componentes são estes: Uma buchada, acompanhada de rabada, sarapatel de tartaruga; sobremesa de vitamina de mamão e abacate. Para matar a sede, óleo de rícino. Ah, tudo tem que ser comprado pronto nas barracas do Cai n'Água.

NÃO ENTENDI

Fiquei alguns dias fora da lide, acompanhando as notícias apenas pelo clipping - ou seja não via tudo - e me chamou a atenção uma nota publicada pelo jornal eletrônico OObservador. Vejo com preocupação este tipo de cobrança, mas cada vive como quer viver.

TRADIÇÃO

Quem ainda não foi ver, tem até ao meio-dia de amanhã, 24, para visitar a exposição que o Hokney França faz sobre os atos de instalação do Município de Porto Velho no longínquo 24 de janeiro de 1915. Porto Velho era, então, um amontoado de casas que se aglorevam ao longo da "Avenida Divisória", atualmente chamada de Avenida Presidente Dutra. Entre a Divisória e o Rio Madeira, tudo era comandado pela Estrada de Ferro Madeira-Mamoré.
A exposição do Hok está na loja Eletrotel da Avenida Nações Unidas e contando sempre com o apoio do empresário Cosme José da Silva. (Foto Dana Merrill, entre 1910/1912)

19 de jan de 2011

PARABÉNS

No dia de hoje, véspera do aniversário da fundação do Rio de Janeiro, somos aniversariantes, Dom Moacyr Grecchi e eu. Distância abismal entre o pastor e a ovelha. Dom Moacyr entregou a renúncia à Arquidioscese de Porto Velho, eu não posso renunciar ao meu emprego, pelo menos agora, já que mudaram a lei de aposentadorias. O Chico Lemos, do Gente de Opinião, entrevistou o Dom Moacyr, que me abençoou. Fico grato aos dois. Na foto do Chico, uma entrevista há dois ou três anos, que correu o mundo.

18 de jan de 2011

EMPATE TÉCNICO

A Pipira veio me falar que a disputa pela presidência da Assembléia Legislativa já está chegando aos finalmente, com dois candidatos com um maior destaque nas articulações, os deputados Neodi Oliveira - atual presidente e concorrendo ao tri-reinado - e Walter Araújo, o mais votado nas eleições de 2010. Quem dos dois ganhar, o governador Confúcio Moura perde.
É só anotar este palpite e conferir depois. A Pipira aumenta mas não inventa. (Foto JCarlos)

17 de jan de 2011

A TAM SEM O COMANDANTE ROLIM

Anotações de ontem, que recupero:
1 - O avião que vim de Brasília para Porto Velho era tão velho que no 'script' lido pela comissária, o nome do aeroporto de Porto Velho ainda era "Belmont", nome trocado há mais ou menos 10 anos para "Aeroporto Internacional Governador Jorge Teixeira", por iniciativa do então senador Moreira Mendes. Não deixei passar. Ao desembarcar cumprimentei o comandante Guedes e a chefe das comissárias e falei que Belmont já era;
2 - Esta bolsa preta, com bolinhas brancas, ficou abandonada no pátio de estacionamento do aeroporto de Brasília. Os funcionários a pegavam, olhavam a etiqueta e a deixavam no solo. Se alguém perdeu a bolsa, já sabe. (Foto JCarlos)

CRITÉRIOS

Há dois meses fiz uma compra pela internet para a Mar. A entrega foi feita pelos Correios e o JP assinou o recibo, sem problemas. Nesta sexta-feira chegaram duas encomendas: uns livros enviados pela Mara Paraguassu e dois exemplares da revista Imprensa, ambos via Sedex. O carteiro não quis entregar ao JP que ainda falou: - Eu tenho 'quase' 13 anos! E teve o desprazer de ouvir: "Você só pode receber isso quando tiver 18 anos!"
A Mar foi aos Correios buscar as encomendas, reclamou a falta de critério e a funcionária disse a ela que, mesmo trabalhando lá na ECT, não entende a cabeça dos colegas.

14 de jan de 2011

AJUDE O RIO

Banzeiros se alia à campanha do SGC - Diário da Amazônia, Rede TV Rondônia - e Eucatur para ajudar desabrigados pelas chuvas e deslizamentos no Rio de Janeiro. Doe.

DEPOIS RECLAMA QUANDO MORRE

Estes homens desafiavam o trânsito da Rua Mamoré com Avenida Amazonas. Sem nenhum cone ou placa de aviso, trabalhavam literalmente no meio da rua. Irresponsabilidade deles e da empresa para a qual trabalham (Foto JCarlos)

DIÁLOGOS INSÓLITOS

Entra uma colega que não conheço na sala de trânsito. Abre a porta, olha para mim e diz:
- Desculpe, pensei que fosse uma pessoa..
- Eu sou uma pessoa.
Ele riu sem graça e pediu desculpas de novo. Vai ficar pensando nisso o dia todo. Sou mau.

DE VOLTA AO COMEÇO

A matéria que circulou esta semana e foi a sensação dos sites ambientais: "Navio movido a energia eólica chega ao Ceará - O navio E-Ship-1, que pertence à alemã Enercon, é movido com a ajuda de energia eólica, gerada a partir dos ventos."
Os vikings já usavam esta tecnologia há mais de 2 mil anos. Isso sem falar no nosso amigo Pedro Álvares Cabral... (Ilustração Embaixada de Portugal no Brasil)

DICA DE TORTURA, DIGO, DE ARTIGO

Acabo de ler na revista Alfa, editada pela Abril, artigo do administrador Leandro Vieira, com o título "Como torturar com o Powerpoint". É tudo que eu já pensei, sofri e nunca escrevi. Vai reproduzido abaixo, retiradao do site http://www.administradores.com.br/, do qual o Leandro é o editor:

Como torturar pessoas usando o PowerPoint

Criado para facilitar a vida de milhões de pessoas necessitadas de um suporte para as suas apresentações acadêmicas, comerciais e corporativas, o PowerPoint acabou se tornando um verdadeiro instrumento de tortura.

Fãs de Bill Gates, tenham calma! Eu explico.
O problema, como sempre, não é a ferramenta, mas o uso que se faz dela. A maior parte das pessoas utiliza o PowerPoint como uma bengala em suas apresentações. As razões podem ser diversas: insegurança, medo, despreparo, vontade de surpreender a plateia com os "efeitos especiais", deslumbre com o programa, e por aí vai. A bronca é que, sem o bendito PowerPoint, adiós apresentação.

O modo mais comum de tortura é rechear os slides com texto. O apresentador, com medo de não lembrar o que veio falar, entope os slides com um milhão de frases. Para completar, ignora o público à sua frente e lê o que está escrito no telão. Pobre plateia.
Utilizar o clipart do Windows é um dos clichês. Sempre em busca do caminho mais fácil, o torturador não pensa duas vezes antes de inserir aquelas imagens batidas em sua apresentação.
Outra estratégia torturante é o uso de bullet-time, aquele efeito irritante que faz as frases deslizarem na tela. A cada tópico lido pelo palestrante, uma nova frase faz sua entrada triunfante da esquerda para a direita (ou de baixo para cima, ou rodopiando, ou piscando...). Os mais empolgados ainda utilizam o pacote de sons do aplicativo:
"As vendas do primeiro semestre de 2010 superaram em 6% as do mesmo período do ano passado". POW! (barulho de disparo de revólver);
"Em contrapartida, fomos obrigados a reduzir nossa margem de lucro em 3,29%" SCRINNNCHHHH! (carro freando);
"Dessa forma, para a nossa empresa decolar, minha proposta é de expandirmos nossa atuação para o estado vizinho" PLAC! PLAC! PLAC! (som de aplausos. Do programa, é claro.).
Fale a verdade: você já viu esse filme antes, não viu?

13 de jan de 2011

INADIMPLÊNCIA

Se não aparecerem financiadores, prestações de carros e da escola dos meninos vão atrasar e "o da" cerveja vai ficar mais difícil de conseguir. Já tem neguinho dando porrada até nele mesmo para descolar um por fora.
Alguns estão se virando com a oposição política financiada por um grupo derrotado.
Assim caminha a Imprensa caripuna. Ô raça!

12 de jan de 2011

CAIXA

Há 150 anos era criada a Caixa Econômica Federal, que naquela época foi fundada com o nome de Caixa Econômica e Monte de Seguro, tendo entre os seus primeiros clientes D. Pedro II. Mais tarde o escritor Machado de Assis também foi correntista.
Hoje cedo fui à agência da rua Carlos Gomes. Como de hábito, a fila de pessoas que aguardavam a abertura do banco virava a esquina da avenida Presidente Dutra.
Não tem cura.

11 de jan de 2011

HEIN?

Leio no Diário da Amzônia que um grupo de bandidos roubou oito toneladas de cassiterita em uma mineradora de Ariquemes. Apesar de não saber a quantas anda a investigação policial, me parece coisa encomendada.
O Bico-de-Brasa me contou que parte da quadrilha já está presa e, por coincidência, é formada por mototaxistas de Ariquemes. A motivação do crime deve ser para reforçar o caixa. poucas corridas...

9 de jan de 2011

A MORTE DA ÁRVORE DOS ENFORCADOS

Há um ano estivemos em Araxá-MG. Para atender uma curiosidade da Mar, fomos ver a "árvore dos enforcados". História macabra.
Durante esta semana soube que a árvore morreu. É a vida. Até dos vegetais. (Foto JCarlos)

"INCESTO" DE TRABAIO

Na tapiocaria, o seu Maranhão fazia o seu costumeiro monólogo. Hoje o tema era "A dengue não me derruba". Quando cheguei falava que o cara do laboratório tinha contado as plaquetas dele e elas estavam baixas.
- Sabe o que é isso? É incesto de trabaio. Vim aqui quinta-feira, lavei tudo e fui jogar sinuca. Joguei 100 partidas e sabe quantas fichas paguei? 22. Fiquei jogando de 10 horas da manhã até sete da noite. Fui para casa e comi bem poucozinho. No outro dia, meu patrão, não levantei, não. Mas também um veio como eu fazendo estas estavagância... Mas eu não posso ver uma sinuca e boto esses rapazinho para rodar. No outro dia peguei uma virose, que os ossos do veio chegavam a estralar...
Peguei minhas tapiocas e deixei ele falando, mesmo sem audiência.

8 de jan de 2011

EU E OS MEUS CALVÁRIOS

Fui comprar tintas, a Mar escolheu as cores e disse onde eu encontraria. Na Alfa fui ao quiosque da Coral e fiquei aguardando o vendedor terminar um atendimento. Ele, por iniciativa própria, ligou para o serviço de som pedindo um "consultor" (adoro estes eufenismos). Para resumir, passei pelas mãos de três consultores e depois de quase meia hora, o derradeiro veio me dizer que "a gente não vamos ter estas cores". Peguei de volta a minha "cola", agradeci e já ia saindo, quando o atendente completou: "Nós podemos fazer as cores na máquina". Eu, educadamente, respondi: "Agora não quero mais, tchau!".
Fui a outra loja. O vendedor já explicou que as cores que eu queria estavam em falta, mas que ele poderia "fazê-las" na máquina. Resolvido.
Outro: Desde o dia 29 de dezembro encomendei uma grade de metalon, 0,50 x 0,60. O vendedor preencheu o pedido, pegou o sinal de 50% e até hoje não entregou a droga da grade. Hoje aloprei e liguei para o dono da serralheria. Disse a ele para ficar com o sinal e que o Procon seria apenas um dos lugares que eu iria para pertubar a vida dele. Prometeu de pés juntos (imagino) que trará pessoalmente a grade às 16 horas. Rezo para que ele faça isso.
O estado zen em que eu me encontrava no início desta semana já evaporou.

COMEÇANDO BEM

Fiquei bem impressionado com as entrevistas do secretário de Saúde, Alexandre Muller, e do coronel Caetano, comandante dos Bombeiros, no programa "Via Sat", da TV Candelária, apresentado pelos amigos Sérgio Mello e Léo Ladeia.
Dr. Alexandre demonstrou segurança e conhecimento do setor que vai comandar e descreveu ações de curto e médio prazos. Já com o coronel Caetano não foi surpresa para mim. Ele já fazia parte do Comando da corporação e é um dos responsáveis pelo planejamento. Uma das ações que ele anunciou foi uma interação maior com o SAMU, para agilização do atendimento de urgência e emergência, sem sobrecarregar o Pronto Socorro. Seria uma espécie de triagem imediata e a solução para casos de baixa complexidade.
Boa sorte aos dois. (Foto Fred Perillo/DECOM)

7 de jan de 2011

CUIDADO, PIPIRA

(Foto Internet)

REFORÇO

Leio no Blog do Confúcio que o amigo Gilberto Siqueira está em Porto Velho. Gilberto foi executivo da Federação das Indústrias do Acre - FIEAC, secretário de Planejamento do Acre em vários governos. Camarada competente. Não entendi se ele veio dar uma mão à administração estadual ou só está de visita. De qualquer forma, seja bem vindo. (Foto A Tribuna - AC)

Ô RAÇA!

Voz ao comentarista Carlos Chagas:
"MESQUINHARIAS

Alguns ranzinzas protestam por estar o ex-presidente Lula, com a família,
hospedado numa dependência do Exército, à beira-mar, aproveitando para descansar sem ser perturbado como fatalmente seria se freqüentasse o balneário do Guarujá. Lembram que Fernando Henrique não se valeu de prerrogativa igual e que depois de deixar o poder viajou para a Europa só com dona Ruth. As situações são diferentes, mas nem tanto, porque ao chegar à capital francesa o sociólogo teve à disposição todo o aparato da embaixada brasileira.
Faria o quê, o Lula, se tivesse embarcado para a Europa? Monoglota, encontraria montes de dificuldades, quando na verdade deseja apenas descansar. O ministro da Defesa, Nelson Jobim, convidou-o a ocupar por alguns dias aposentos no Forte dos Andradas, defronte a uma praia privada, onde se encontra livre dos chatos, dos inoportunos e dos curiosos. Melhor do que viajar às custas de empreiteiras, como acontece com montes de parlamentares." (Ilustração Dalcio/Edição Allan Dantas)

DESMILINGUINDO-SE A SI MESMO

A crítica pública do deputado Hermínio Coelho (PT/PVh) ao prefeito Roberto Sobrinho e ao secretário de Transportes Itamar da CUT, no programa Câmera 11, da TV Candelária, ontem, por causa do aumento do preço das passagens do transporte coletivo (diz-que) mostra as vísceras da crise que o Partido dos Trabalhadores de Rondônia está atravessando desde o ano passado.
O "racha" começou com a escolha do candidato do partido ao governo do Estado, na escolha dos candidatos a deputados estadual e federal, durante a campanha presidencial e agora, numa nova frente, pela sucessão na Prefeitura de Porto Velho.
A coisa tende a esquentar.

6 de jan de 2011

GENTE QUE CHEGA, GENTE QUE SAI

Um dos primeiro atos do governo Dilma: "decreto transfere o Centro Gestor e Operacional do Sistema de Proteção da Amazônia (CenSipam) da Casa Civil da Presidência da República para o Ministério da Defesa". A decisão era esperada, mas não desejada.

SADOMASOQUISMO

Leio na coluna Primeira Mão, do jornalista Sérgio Pires, que os senhores Ivo Cassol e João Cahulla, ambos ex-governadores, estariam almejando disputar a Prefeitura de Porto Velho nas eleições de 2012. Fiquei pensando: Será?
Os dois senhores tem todo o direito de se candidatarem ao que quiserem, mas porque logo à Prefeitura de Porto Velho, capital do Estado cujo grupo que os dois representam dirigiu por oito anos e neste período não colocaram uma "cibalena" aqui? Pelo contrário.

FIM DOS TEMPOS

Isso é que é desespero: "Moradora de rua é assaltada por casal no centro da capital".
Não carece de comentário.

AI, AI - 2

Na padaria, as balconistas acompanhavam a lesma anestesiada da Ana Maria Braga falar sobre a morte da dona Lilly Marinho. O tom de voz da apresentadora era própria para narrar enterro.

AI, AI

Entro na assistência técnica para buscar a CPU. A recepcionista, de "olho duro" na novela, não olha para mim quando me dirijo a ela e falo o que quero. A única reação da criatura, que continuou atenta à tv, foi apontar para trás e dizer: - Entra aí nessa porta.
A sorte dela é que estou zen neste início do ano...
Falta de respeito.

CIRANDA, CIRANDINHA

Deu no Página Pública: "Muleta é chamado para assumir Câmara Federal". Resumo da ópera: Saiu Natan Donadon, entrou Agnaldo Muniz, que deixa o cargo para João da Muleta. É o que eu chamo de 360º Pobre Rondônia.

DIÁLOGO INSÓLITO

- Feliz ano novo! Como foi de festas?
- Para você também. Foi tudo bem...
- E o casamento?
- Já está marcado...
- Que bom...
- Antes era só prazer, agora é segurança...

JÁ?

A oposição ao governador Confúcio Moura, especialmente na Imprensa, já começa a despertar. Não dão tempo nem do homem conhecer seu Milton e o Nivaldo, garçons que servem ao gabinete governamental.

5 de jan de 2011

SABEDORIA DE ALMANAQUE

Sempre gostei de almanaques. Na casa da minha avó havia exemplares do "Almanaque Capivarol", "Almanaque Biotônico Fontoura", com texto do Monteiro Lobato (Jeca Tatu), entre outros. Eu devorava todas as revistinhas e depois passei, eu mesmo, a ir às farmácias nos finais de ano buscar meu almanaque. Hoje assino o Almanaque Brasil, que conheci como leitura de bordo da TAM e que  passei a receber em casa. Fonte de muita cultura "inútil", não deixo de ler almanaques sempre que posso.
Hoje recebi mais uma peça para a minha coleção. Trazido especialmente de Lisboa, recebi das mãos da minha colega Mariana Scalzo um exemplar do "Verdadeiro Almanaque Borda D'Água", ao qual vou me entregar logo mais à noite.

DICA DE TURISMO DE COMPRAS

A indicação é do colega Ricardo Ferrreira: Na sua próxima visita a Rio Branco (AC), reserve 3 horas para dar um pulo até a cidade de Plácido de Castro, a 92 km da capital. Um vez lá, atravesse a fronteira com a Bolívia e vá a Puerto Evo Morales, antiga vila Montevidéo. Segundo o Ricardo, a área comercial oferece uma variedade grande produtos - eletrônicos, ferramentas utensílios domésticos - de boa qualidade, com preços em conta.
Na próxima visita a Rio Branco, vamos conferir. (Foto de 05/2010 blogmanueldutra.blogspot.com)

PARCERIA A VISTA

Conversava com o Neumar Silveira, gerente do Sipam, momentos antes da troca de comando dos Bombeiros, quando o governador Confúcio Moura se aproximou de nós. Perguntou ao Neumar onde ele estava e ao saber perguntou se o Sipam tinha helicópteros, etc.
Lembrei ao governador que o Sipam pode ajudá-lo na implantação definitiva do Zoneamento Econômico e Ecológico, que é um dos compromissos de campanha. Neumar aproveitou e fez o comercial. Uma visita ficou acertada para Confúcio conhecer o potencial do Sipam.

DO TWITTER

@banzeiros Sirenes gritam na madrugada. Penso: mais um infeliz está indo para o hospital ou para a cadeia. Me virei e voltei a dormir.

VOLTANDO AO TRAMPO

No retorno ao trabalho efetivo (estava de sobreaviso), recebo votos de feliz 2011 e observações sobre a minha barba crescida ("Já são saudades do Lula?", castigaram). Até agora a saudação coletiva mais criativa foi: "Feliz ano novo, muita saúde e paz. Dinheiro todo mundo já tem!" Ô louco.
Na copa, dois assuntos: o apetite do PMDB por cargos do segundo escalão do governo federal e a Marcela Temer.

4 de jan de 2011

TRÊMULA TRÉGUA

A Pipira aparece neste feriado e me informa que quem quiser pode convidar para o mesmo churrasco os deputados federais Moreira Mendes e Anselmo de Jesus, agora secretário de Agricultura. A trégua foi firmada na posse do Anselmo na manhã de ontem, segunda-feira.
Mas há controvérsias, diz a Pipira. Não entendi, informativa amiga...

HEIN?

Futuros soldados do fogo. Ainda aprendizes, até na distinção entre a mão direita ou a mão esquerda. (Foto Ney/OObservador)

'ÓI' EU AQUI!

Fui à transmissão de comando do Corpo de Bombeiros levar o meu abraço ao coronel Caetano. Foi o único evento do novo governo do qual participei. O que vi foi uma grande quantidade de figurinhas carimbadas e hoje no limbo e ostracismo do poder. Estavam ali para serem vistas e lembradas, já que nem todos os postos foram preenchidos.
Notei também uma quantidade inusitada de "repórteres", "fotógrafos" e "cinegrafistas" de veículos que se especializaram em publicar rilises.
É a hora, é o momento. Cada um se vira como pode.

3 de jan de 2011

REI MORTO...

Solenidade de passagem de comando do Corpo de Bombeiros Militares. O novo comandante se apresenta ao governador, como é da praxe militar:
- Com licença, Excelência. Coronel Bombeiro Lioberto Ubirajara Caetano de Souza, se apresenta por ter assumido o Comando Geral do Corpo de Bombeiros Militar de Rondônia!

No silêncio que se seguiu, ouviu-se claramente uma voz feminina, vinda do outro lado da rua:
- Graças a Deus!
(Foto JCarlos)

ECOS DA POSSE

Colegas tiveram que literalmente suar a camisa para cobrir a posse do governador
(Texto da legenda e foto - Cléris Muniz / Ag. Imagem News)

SUGESTÃO DE LEITURA

Recomendo a todos - membros do governo, inclusive - a leitura da entrevista do juiz Sérgio William, da Vara de Execuções Penais. Lúcido e cirúrgico na abordagem do problema penitenciário. No Diário da Amazônia de hoje ou aqui.

2 de jan de 2011

DO PRIMEIRO (DIA) A GENTE NUNCA ESQUECE

Plagiei o famoso bordão do Washington Olivetto para entrar numa prosa com vocês. A equipe do governador Confúcio Moura se reuniu agora à tarde no Palácio Presidente Vargas, botando a máquina para andar.
Durante o almoço, contei para a Mar e para o JP que eu passei por esta experiência algumas vezes: "chegamos ao poder, e agora, como funciona?". Levam-se dias para saber quem é quem e quem faz o quê, especialmente o pessoal de apoio direto ao governador. A estrutura que acompanhava o candidato durante a campanha não funciona da mesma forma na "coisa pública".
E não há equipe de transição que dê conta de tudo. É só o tempo e o reloginho já está girando...

É COM RESSACA MESMO

Durante as transmissões da Record News da posse e assunção do cargo do governador Confúcio Moura, os amigos Beni Andrade e Léo Ladeia, que comandavam a cobertura desde os estúdios, comentavam que era uma covardia marcar solenidades para dia 1º de janeiro, logo após das festas do reveion.
Vejo na coluna do Lúcio Albuquerque que tal custume já é praticado por aqui há muito tempo:
"Datas de Rondônia:
Dia 1 – Em 1915 – Tomam posse os primeiros vereadores eleitos no município de Santo Antonio - MT – atual bairro de Porto Velho. (Francisco Matias – Pioneiros – Ocupação Humana e Trajetória Política de Rondônia)

Dia 1 – Em 1917 – Tomam posse o primeiro prefeito eleito de Porto Velho, Joaquim Tanajura, e os vereadores Luzitano Barreto, José Camargo, Álvaro Dantas Paraguassu, Antonio Sampaio e Otávio Reis, todos filiados ao Partido Republicano Conservador. (Francisco Matias – Pioneiros – Ocupação Humana e Trajetória Política de Rondônia)
(...)
O jeito é trabalhar de ressaca, seu Léo e seu Beni...