7 de out de 2012

APURAÇÕES

Acompanhando as apurações das eleições à moda do amigo Chico Lemos: TV ligada, o rádio do tablet sintonizado na Parecis e online no G1-RO. É muito rápido e dá uma saudade do tempo das urnas de lona, que eram despejadas sobre as mesas de apuração. Havia a separação manual dos votos; um mesário "cantava" o que estava escrito (as vezes precisava de ajuda para traduzir) e outros anotavam. Os fiscais dos partidos ficavam em volta acompanhando tudo. Nós, da Imprensa, corríamos de um lado para outro e disputávamos os boletins oficiais com os delegados partidários e com outros colegas. Depois era transmitir para a redação, numa confusão de números, percentagens, papéis e tudo mais.
Há pouco, a Marcela Ximenes, em entrevista à Cleo Subtil, mostrou como o G1 e outros veículos estão plugados nos computadores do TSE, o que permite acompanhar a apuração praticamente na hora em que ocorre. Ficou rápido, mas sem graça.
Na verdade, só o G1 estava lincado ao TSE, os outros saites, como chupins, se plugaram ao G1.

Nenhum comentário: