1 de abr de 2015

DO PASSADO

Em 1986 - e até o final do mandato - as relações entre o governador Ângelo Angelim e a Assembleia Legislativa não eram amistosas, apesar de Angelim ter sido escolhido entre os deputados do PMDB para ocupar o governo-tampão até a realização de eleições para governador.

Via de regra, o governador vetava todas os projetos de lei aprovados na ALE, que por sua vez vendia caro (no sentido figurado, pelamordiDeus, hein?) a apreciação de assuntos de iniciativa do Executivo. Entre as matérias vetadas estavam aquelas "autorizativas", a maioria delas era só para agradar o eleitor, coisa do tipo: "O governado está autorizado a asfaltar a estrada coletora Kapa Zero, no município de Colorado do Oeste", por exemplo.

O jornalista Márcio Raposo (responsável pela minha vinda para cá) sugeriu um dia para que os projetos de lei que autorizavam alguma coisa não fossem mais vetados. Era só o governador agradecer e guardar o papel. Reduziu-se, assim, o atrito com os deputados, que continuaram agradando os eleitores, mas não viram as obras indicadas sendo executadas...

Nenhum comentário: