8 de abr de 2015

A HIDROVIA QUE NÃO SAI

Não é preciso relembrar a importância do rio Madeira para esta região. Vou destacar apenas um dos aspectos: o econômico. Desde que os portugueses passaram por aqui pela primeira vez, ainda no século XVII, o rio Madeira vem servindo de via de escoamento e de abastecimento de produtos; transporte de passageiros; irrigação e fertilização das várzeas e muito mais.


Os investimentos para tornar a calha do Madeira uma hidrovia já deveriam ter sido aportados (sem trocadilho) há muito tempo, mas o dinheiro chega em gotas homeopáticas e todos sabem que os tratamentos com a Homeopatia demoram muito mais...

Já fizeram balizamentos e sinalização do rio algumas vezes, mas só isso não é o suficiente. Todos os pontos críticos estão mapeados e com os diagnósticos do que deve ser feito, mas dragagem e o derrocamento, que é bom, nada.

Li hoje que a Antaq - Agência Nacional de Transportes Aquaviários - vai colocar em prática o Programa de Investimento e Logística, fazendo o rio Madeira de projeto-piloto. A ideia é a concessão, no modelo PPP, da hidrovia que vai se chamar "Centro-Norte". O presidente da Agência, Mário Povia, além dessa informação, pediu "paciência".

É. (Ilustra ClubeDosAmigos)

Nenhum comentário: