29 de mai de 2015

UM (BOM) TEMA DESPERDIÇADO

O convite prometia uma manhã de discussões sobre o sistema elétrico em Rondônia, falar sobre tarifas, qualidade da energia, problemas e soluções para a distribuição e a continuidade do Programa "Luz para Todos" para as famílias do interior. Todo mundo acreditou.

Compareceram os deputados federais Expedito Netto (SD/RO) e Carlos Andrade (PHS/RR); o presidente da ALE, Maurão de Carvalho e os deputado Alex Redano (SD) e Aélcio da TV (PP). Também vieram a Porto Velho os prefeitos de Guajará-Mirim e Cerejeiras; vereadores de Ouro Preto do Oeste, Alto Alegre, Buritis, Itapuã do Oeste, Candeias do Jamari, Nova Mamoré e Cujubim.

O gerente financeiro da 'Ceron' - Eletrobras Distribuidora Rondônia -, Júlio César Lopes Ferreira, mostrou como o valor da tarifa de energia elétrica era formada. É uma conta complicada, mas dá para entender - se quiser - o porquê da conta de luz alta. Júlio também falou das metas estabelecidas para a energia rural pela Aneel e o orçamento insuficiente para o cumprimento destes objetivos impostos.

Os prefeitos e vereadores queriam saber como resolver isso; mas falar em energia elétrica sem culpar asuzina, não tem graça. O pastor Rosan Rodrigues (Movimento dos Atingidos pela Enchente) e o engenheiro Jorge Silva (Senge) se encarregaram de redirecionar as discussões rio acima.

O resultado da audiência pública foi, para mim, nenhum. Para os prefeitos e vereadores que vieram do interior 'prestigiar' o deputado Expedito Netto, cumpriram o que estava combinado. Quanto a baixar tarifa, garantir a continuidade do programa "Luz para Todos", nada.

Um tema e muito tempo desperdiçados. Não vou falar nada sobre a quantidade de gente que trabalhou para que essa 'miragem' continuasse assim. Nada.

A partir da esquerda, deputado federal Expedito Netto, com o Lenilson Guedes ao ouvido; deputados estaduais Maurão Carvalho e Alex Rodano (a funcionária não consegui o nome)

Para calcular a conta de luz, é simples

Então, "audiência pública"
(Fotos JCarlos)

Nenhum comentário: